PT
210528Psb 11

Notícias

Missão militar europeia em Moçambique a aprovar em junho

Reunião Informal de Ministros da Defesa

28 mai · 19h00

João Gomes Cravinho, Ministro da Defesa Nacional © Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021 / Pedro Sá da Bandeira

A Presidência Portuguesa do Conselho da UE espera que seja formalmente aprovada em junho a missão militar europeia em Moçambique, destinada ao treino de forças especiais moçambicanas para a contenção da violência em Cabo Delgado, no norte daquele país.

O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, lembra que já está no terreno “uma equipa técnica para identificar os parâmetros exatos do que poderá ser essa missão”, acrescentando que terá de ser “formalmente aprovada, o que esperamos que aconteça em junho”. Após esse momento, a missão poderá estar no terreno “dentro de três meses”, acrescentou.

Cravinho falava aos jornalistas em conferência de imprensa conjunta com o Alto-Representante da UE para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, após a reunião de Ministros da Defesa que decorreu em formato presencial em Lisboa.

210528Psb 181

O Alto-Representante da UE para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, e o Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, em conferência de imprensa © Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021 - António Pedro Santos/LUSA

O Ministro revelou que “sete ou oito” Estados-Membros já indicaram a sua disponibilidade para empenhar militares nessa missão, mas reservou para momento posterior a identificação desses países, sublinhando que devem ser “os próprios a dizer cá fora aquilo que já tiveram oportunidade de dizer lá dentro”.

As contribuições serão distintas, prosseguiu João Gomes Cravinho, exemplificando: “Hoje houve um país que disse ‘nós não podemos fornecer militares, mas podemos fornecer todas as comunicações de satélite’. Portanto, haverá contribuições de diferentes tipos, mas a contribuição essencial em termos de militares será portuguesa, apoiada por outros Estados-Membros”, vincou.


Grupos armados têm vindo a aterrorizar as populações na região de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, numa onda de violência que, além de mais de dois mil mortos, já provocou mais de 700 mil deslocados, de acordo com o Governo moçambicano.

Parceria UE-África para a Paz e Segurança

No encontro, que também teve a participação de representantes da SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral), da IGAD (Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento) e da CEEAC (Comunidade Económica dos Estados da África Central), foi analisada a Parceria UE-África para a Paz e Segurança.

O Ministro João Gomes Cravinho recordou que esta reunião na sede da Presidência Portuguesa do Conselho da UE foi a primeira entre Ministros da Defesa dos 27 e representantes daquelas organizações, fazendo notar que “cinco das seis missões militares no âmbito da Política Comum de Segurança e Defesa são em África, sendo por isso essencial mais proximidade com os nossos parceiros africanos”.

210528Psb 125

Foto de família da Reunião Informal de Ministros da Defesa © Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021 / Pedro Sá da Bandeira