PT
Shutterstock 1912783405 (1)

Comunicados de imprensa

Ministros da União para o Mediterrâneo reunidos sob a Presidência Portuguesa do Conselho da UE

14 jun · 14h30

Comunicado de imprensa

Os Ministros da União para o Mediterrâneo (UpM) responsáveis pela Energia reuniram-se, hoje, 14 de junho, em Lisboa, para a 3ª Conferência Ministerial sobre esta temática. O Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes foi anfitrião da reunião, organizada no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, e copresidida por Hala Zawati, Ministra da Energia e Recursos Minerais da Jordânia, e Kadri Simson, Comissária Europeia da Energia. Nasser Kamel, Secretário-Geral do Secretariado da UfM esteve também presente nesta ocasião.


Entre outras ações, os Ministros da União para o Mediterrâneo (UpM) encarregues da pasta da energia aprovaram nesta reunião:

  • Promover conjuntamente a transição para uma via de recuperação sustentável pós-COVID-19, em conformidade com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU - em particular o ODS 7: assegurar o acesso a uma energia acessível, fiável, sustentável e moderna para todos - os objetivos do Acordo de Paris e as ambições da Declaração Ministerial da UpM sobre Ambiente e Alterações Climáticas;
  • A intenção de rever, redesenhar e implementar roteiros e objetivos de eficiência energética em todos os sectores e políticas;
  • A intenção política de continuar a apoiar medidas regulamentares e as políticas necessárias para alcançar a integração regional dos sistemas e mercados energéticos na região Euro mediterrânica, aumentando a taxa de energias renováveis para alcançar uma economia de escala e aumentar a segurança da oferta e da procura;
  • Trabalhar em conjunto para reforçar as conexões elétricas regionais, as redes inteligentes e a digitalização (para as quais os requisitos de cibersegurança são um elemento importante);
  • Trabalhar com instituições nacionais de educação e investigação para aumentar a consciência pública sobre energia, clima, mobilidade e questões ambientais, especialmente com as gerações mais jovens.

 

Os Ministros responsáveis pela Energia da União para o Mediterrâneo também reconheceram:

  • Os benefícios decorrentes de um abastecimento energético previsível, seguro, acessível e sustentável para a população e para as economias da região;
  • A elevada vulnerabilidade da região Mediterrânea às alterações climáticas e à degradação ambiental, com impacto sobre os recursos hídricos, já em situação de stress, e implicações para a agricultura;
  • O aumento projetado da quota-parte no fornecimento de energia primária vinda de energias renováveis, abundantes nesta região, bem como de hidrogénio verde;
  • A ambição do Pacto Ecológico Europeu para os países membros da UE, nomeadamente o objetivo de alcançar a neutralidade climática até 2050, o objetivo de alcançar pelo menos 55% de redução das emissões líquidas de GEE até 2030 em comparação com 1990, adotado pelo Conselho Europeu, e o plano de recuperação e resiliência pós-COVID-19 da UE, promovendo uma recuperação rápida e inclusiva, nomeadamente acelerando as transições verde e digital;
  • As várias iniciativas propostas pela Comissão Europeia, e entre outras, a Estratégia da União Europeia (EU) para o Hidrogénio, para a integração do sistema energético, para o Metano, para as Energias Renováveis Offshore, para a Mobilidade Sustentável e Inteligente, e a iniciativa Onda de Renovação.


A União para o Mediterrâneo (UpM) é uma organização intergovernamental euro-mediterrânica que reúne todos os países da União Europeia e 15 países do Sul e do Leste do Mediterrâneo.


A missão da UpM é reforçar a cooperação regional, o diálogo e a implementação de projetos e iniciativas com impacto tangível nos cidadãos, ênfase nos jovens e nas mulheres, a fim de abordar os três objetivos estratégicos da região: estabilidade, desenvolvimento humano e integração.

Próximos Eventos

Ver tudo