PT
LUS 3040

Cultura

"Commotion"

Sobre os artistas

© Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021 - Tony da Silva/LUSA

VHILS

O artista português Alexandre Farto, ou Vhils (n. 1987), é conhecido pela invulgar técnica de escultura em baixo-relevo, executada em paredes e através de ferramentas e técnicas não convencionais, como sejam os martelos demolidores ou explosões controladas.

vhils.com
VHILS Underdogs (1)

Descascando as camadas da cultura material portuguesa, como um arqueólogo urbano contemporâneo, Vhils reflete sobre o impacto da urbanidade, do desenvolvimento e da uniformização global sobre as paisagens, e a identidade das pessoas. Destruindo para criar, Vhils trabalha com materiais que a cidade rejeita, humanizando zonas deprimidas com os seus comoventes retratos em grande escala.

 

Começou a interagir com o espaço urbano através da prática do graffiti, no início da década de 2000, e desde 2005 vem apresentando o seu trabalho à volta do mundo, em exposições, eventos e outros contextos – do trabalho com comunidades nas favelas do Rio de Janeiro a colaborações com reputadas instituições na Europa, EUA e Ásia.

 

Um ávido experimentalista, Vhils tem desenvolvido a sua estética pessoal numa multiplicidade de suportes: da pintura com estêncil à gravura em metal, do vídeo a instalações esculturais.

±MAISMENOS±

±MaisMenos± é um projeto de intervenção artística do artista e designer gráfico português Miguel Januário (n. 1981), que começou no âmbito de uma tese académica em 2005 e, mais tarde, ganhou vida própria. Oferece uma reflexão crítica sobre o modelo de organização política, social e económica inerente às sociedades urbanas contemporâneas.

maismenos.net
MAIS MENOS Underdogs

Procura dissecar o sistema de dualidades intrínseco ao edifício ideológico ocidental, conceptualmente reduzido a uma equação de simplicidade e opostos excludentes: mais/menos, positivo/negativo, preto/branco.

 

Sob a insígnia ±MaisMenos±, o artista tem produzido trabalho dentro e fora de Portugal, numa variedade de suportes: do vídeo às instalações esculturais, da pintura à performance.

 

A par de inúmeras intervenções no domínio da arte pública – por vezes à margem da lei, como, por exemplo, invadindo espaços vedados ou intervindo sobre propriedade privada – realizadas em vários países, o projeto também tem sido exposto em mostras individuais e coletivas em múltiplos contextos.

ABDEL QUETA TAVARES

Abdel Queta Tavares (n. Guiné-Bissau, 1992) é fotógrafo, diretor criativo e stylist. Aos 14 anos mudou-se com a família para Lisboa, e foi aí que a sua veia criativa começou a tomar corpo, com a compra de uma máquina fotográfica e fazendo autorretratos, em casa.

@abdelkeitatavares
ABDEL QUETA TAVARES Underdogs

Queta Tavares vai buscar inspiração e motivação a tudo o que o leva a contemplar a vida e lhe traz felicidade: cores, sorrisos, caras, detalhes, expressões, e tudo o que enriquece a sua criatividade e o impulsiona a fotografar.

 

Em 2016 mudou-se para Londres, onde foi descoberto numa loja de Shoreditch pelo fotógrafo britânico David Cantor, que ficou fascinado com a sua roupa e com o seu chapéu vermelho e lhe pediu para o fotografar. Essa fotografia acabou por ganhar o Taylor Wessing Photographic Portrait Prize, um dos prémios de fotografia mais prestigiados no mundo, tendo sido apresentada na National Portrait Gallery e em muitos outros locais em Londres.

ADD FUEL

Add Fuel é o artista português Diogo Machado (n. 1980). Ex-designer gráfico, a sua prática artística tem-se concentrado em reinterpretar e jogar com a linguagem tradicional do azulejo, em particular a de origem portuguesa.

addfuel.com
ADD FUEL Underdogs

Misturando elementos tradicionais e contemporâneos, as suas originais criações de base vetorial e intervenções de rua com recurso ao estêncil revelam uma impressionante complexidade e uma mestria na atenção ao detalhe. Com base na tesselação (recobrimento de uma superfície bidimensional), que procura harmonia a partir de repetições simétricas, e em técnicas de ilusão visual, como o trompe-l'œil, as suas composições de padrões criam um ritmo poético que brinca com a perceção do observador e as possibilidades de interpretação.

 

Desde 2006, tem exposto o seu trabalho em mostras individuais e coletivas, assim como participado em alguns dos principais eventos mundiais de arte urbana.

AKACORLEONE

AkaCorleone (n. 1985) é um artista multidisciplinar de ascendência portuguesa e suíça, que iniciou o seu percurso como writer de graffiti no submundo de Lisboa.

akkacorleone.com
AKACORLEONE Underdogs

Desenhador compulsivo, obcecado desde jovem por todas as coisas gráficas e visuais, estudou artes, licenciou-se em Design e Comunicação Visual e trabalhou como designer gráfico durante alguns anos, tendo deixado a profissão para desenvolver a sua prática artística.  

 

Hoje é conhecido pela destreza com que joga com o uso de cores, tipografia, as personagens e as formas depuradas, que vai combinando de modo a produzir composições apelativas, imbuídas de originalidade e com um humor abrangente.  

 

Tem apresentado o seu trabalho em exposições individuais e coletivas desde 2010. 

ANDRÉ DA LOBA

André da Loba (n. 1979) é um artista português com vasta obra publicada e exposta, cujo trabalho tem sido alvo de crescente reconhecimento internacional.

andredaloba.com
ANDRE DA LOBA Underdogs

Enquanto ilustrador, animador, designer gráfico, escultor e educador, a sua combinação de curiosidade, experiência, conhecimento e desconhecimento serve como um suporte constante com o qual o artista cria e onde se inspira. O seu trabalho é um convite e um desafio para mudar o mundo, seja ele grande ou pequeno.  

 

Após ter vivido em Brooklyn, Nova Iorque, mudou-se recentemente para o Porto, onde, diz, é secretamente feliz. 

BRÁULIO AMADO

Bráulio Amado (n. 1987) é um designer gráfico, diretor de arte e ilustrador português que vive e trabalha em Nova Iorque.

badbadbadbad.com
BRAULIO AMADO Underdogs

De entre as várias colaborações profissionais na área do design que tem desenvolvido ao longo dos anos, destacam-se as com o estúdio Alva, em Lisboa, com a Pentagram Design, a Bloomberg Business Week e a Wieden+Kennedy, nos EUA.

 

Paralelamente, edita livros e discos através da Sleep City Records, produz cartazes para eventos culturais e tem colaborado como designer e ilustrador em inúmeras publicações alternativas. Já foi galardoado com vários prémios de excelência e tem exposto o seu trabalho autoral em inúmeras exposições individuais e coletivas em vários países. Atualmente trabalha em nome próprio, no BAD (Braulio Amado Design) Studio.

FRANCISCO VIDAL

Nascido em Portugal em 1978, filho de mãe cabo-verdiana e pai angolano, Francisco Vidal tem explorado a pintura, o desenho e a instalação, numa meticulosa e continuada reflexão sobre as possibilidades discursivas da expressão plástica, e sobre a relação entre as sociedades e atualidades portuguesa e angolana.

@francisco.vidal.777
FRANCISCO VIDAL Underdogs

O seu trabalho está imbuído de conotações históricas e políticas, abordando temáticas como a diáspora africana, a miscigenação cultural e identitária e as correntes transculturais.

 

Formou-se em escultura pela ESAD – Escola Superior de Artes e Design (Caldas da Rainha) e realizou o mestrado na Columbia University School of the Arts, em Nova Iorque).

 

Foi um dos representantes de Angola – país onde tem repartido residência com Portugal – na 56.ª Bienal de Veneza (2015). Expõe regularmente desde 2005, em mostras individuais e coletivas, e encontra-se representado em várias coleções públicas e privadas, incluindo a Coleção da Fundação EDP, a Fundação PLMJ, a Coleção Sindika Dokolo e Fundação Calouste Gulbenkian.

HALFSTUDIO

Mariana Branco (n. 1986) e Emanuel Barreira (n. 1986) são a dupla por detrás do Halfstudio, um ateliê de lettering e sign painting estabelecido em Lisboa em 2010, que canaliza a sua paixão pelas formas tipográficas e caligráficas para uma prática que recupera a arte perdida das tipologias manuais de comunicação visual.

halfstudio.net
HALFSTUDIO Underdogs

Produzindo projetos em várias áreas criativas e comerciais, a sua linguagem caracteriza-se pela utilização de letras volumétricas e layouts dinâmicos com mensagens impactantes e cores vibrantes, tendo sempre por base o desenho à mão, posteriormente pintado com pincel ou aplicado digitalmente.

 

O ateliê também explora a vertente artística da letra em exposições, edições artísticas, e na produção de murais e intervenções de arte urbana, em que a mensagem é sempre inspirada pela comunidade onde a obra se insere.

HERBERTO SMITH

Herberto Smith é fotógrafo e ativista cultural. Nasceu na Guiné-Bissau, cresceu em São Tomé e Príncipe e vive em Lisboa.

herbertosmith.com
HERBERTO SMITH Credito HERBERTO SMITH

Atualmente, o seu foco recai sobre a vida quotidiana de jovens de descendência africana em Lisboa, explorando aspetos como a identidade, as perceções raciais, as desigualdades sociais e económicas, e a inclusão social. Captando fragmentos do dia a dia, reproduz as narrativas daqueles que raramente têm voz nos meios de comunicação tradicionais, lembrando-nos que as suas experiências têm um paralelo em todo o mundo.  

JORGE CHARRUA

Jorge Charrua (n. 1991) iniciou a sua atividade artística em 2004, no graffiti. É licenciando em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. A sua obra vive num equilíbrio entre o saudosismo e a nostalgia, abordando temas da contemporaneidade, como a cultura hip-hop ou a história da arte, e recorrendo a uma roupagem de pintura tradicional para estabelecer esses pontos de contacto.

@jorgecharrua1
JORGE CHARRUA Credito Andreia Mayer

A representação da figura humana surge num jogo entre melancolia e afirmação, com uma bidimensionalidade criada pelos sinais gráficos de fundos. O trabalho de investigação vai-se manifestando também no exterior, procurando manter a coerência plástica do trabalho de ateliê e do trabalho mural com base no conhecimento adquirido da arte académica e da arte de rua.

KRUELLA D'ENFER

A artista visual e ilustradora portuguesa Kruella d'Enfer (n. 1988) distingue-se pelo seu universo visual encantado, suscitando um profundo sentimento de deslumbre com as fantásticas e benevolentes criaturas que habitam os seus trabalhos, sejam elas lobos místicos ou raposas mágicas, tigres enfeitiçantes ou veados xamanistas.

kruelladenfer.com
KRUELLA D ENFER Credito Kruella D Enfer

Pintando com igual destreza murais em grande escala e trabalhos intimistas em papel e tela, o seu uso de cores contrastantes e formas geométricas dá vida a lendas e mitos ancestrais, compondo histórias fantásticas com um apelo universal. Tem exposto o seu trabalho em mostras individuais e coletivas desde 2010.

MAR

O artista português Gonçalo Ribeiro (n. 1974) é conhecido no mundo do graffiti e da arte urbana como Mar.

goncalomar.com
MAR Credito Gonçalo Mar

Trabalhando principalmente com elementos figurativos, é reconhecido pelo seu singular panteão de figuras expressivas e espirituosas, inspiradas numa combinação de interesses que se estendem da cultura pop contemporânea à mitologia clássica e oriental, e que têm ganhado vida quer na escala mais íntima do trabalho em tela ou papel, quer nos grandes murais que o artista pinta no espaço público.

 

Mar explora com particular ênfase certos elementos estruturais, como as mãos e os corpos volumétricos, e a sua linguagem onírica veicula um mundo de jogos de poder e contrapoder, emoções vastas e profundas, realidades e surrealidades, e todo um novo bestiário de criaturas fantásticas – temas materializados com um toque de humor.

 

Tem apresentado o seu trabalho em exposições individuais e coletivas desde 2004.

MARIA IMAGINÁRIO

Maria Imaginário (n. 1985) vive e trabalha entre Lisboa e Londres. A sua obra já foi exposta em feiras de arte e em galerias em Londres, Lisboa, Paris, Milão, Lyon, Miami, Atlanta e San Diego.

mariaimaginario.com
MARIA IMAGINARIO Credito Maria Imaginario

É uma artista multidisciplinar que desenvolveu um corpo de trabalho profundamente pessoal, com imagens cheias de cor e profundidade, com a capacidade de transmitir mensagens emocionais plenas de significado e, por vezes, um twist agridoce.

 

Ao longo dos últimos anos, tem gradualmente transformado estas histórias em experiências imersivas, que desafiam os limites dos materiais. As suas intervenções em espaços públicos são um convite a assumir a alegria e romper com o mundano e a rotina.

NUNO ALECRIM

Formado em Design Gráfico de Comunicação, o artista português Nuno Alecrim (n. 1983) tem vindo a explorar as artes visuais com os conhecimentos e técnicas adquiridos ao longo dos anos.

nunoalecrim.com
NUNO ALECRIM Credito Nuno Alecrim

O seu trabalho baseia-se na linguagem pictográfica, combinando símbolos, texturas e padrões com composições experimentais, sendo em grande parte monocromático e influenciado pelo design gráfico, com raízes no primitivo e no elementar. As suas obras transportam o observador numa viagem sem fronteiras, através de uma única linguagem: a linguagem gráfica.

ESTÚDIO PEDRITA

Pedrita é um estúdio de design com sede em Lisboa, fundado em 2005 por Pedro Ferreira (n. 1978) e Rita João (n. 1978). A dupla tem desenvolvido, desde então, uma infinidade de projetos em colaboração com estruturas criativas, pessoas e clientes de todo o mundo. Inspirado pelas formas e técnicas tradicionais portuguesas, o trabalho de Pedrita lança um olhar curioso sobre a cultura material – passada e presente –, que reinterpreta de forma sóbria e eloquente.

pedrita.net
ESTUDIO PEDRITA Underdogs

RAQUEL BELLI

Raquel Belli (n. 1982) é mãe, fotógrafa e artista visual. Portuguesa com raízes italianas, tem residido e trabalhado nos últimos oito anos entre Portugal e Timor-Leste.

raquelbelli.com
RAQUEL BELLI Underdogs

Formada em Artes Plásticas pela ESAD – Escola Superior de Artes e Design (Caldas da Rainha), concluiu o Curso Técnico de Fotografia na ETIC – Escola de Tecnologias, Inovação e Criação (Lisboa, 2008), onde desenvolveu e aprofundou a fotografia de cena. Colaborou e participou em várias exposições coletivas e individuais no decorrer dos seus estudos.

 

Após estagiar e trabalhar, durante alguns anos, na revista “Volta ao Mundo”, a fotografia documental e de viagens ganhou importância no seu percurso. Em Timor, colaborou na criação da WAP (WomenArtPower), estrutura para a capacitação feminina através do apoio à criação e divulgação de arte feita por mulheres. Publicou um livro de fotografias sobre o peculiar Natal em Timor, em colaboração com José Ramos-Horta e Xanana Gusmão (“Aqui Onde O Sol, Logo Em Nascendo, Vê Primeiro”, 2014).

 

Além do trabalho documental na imprensa, a plasticidade de que tira partido nas suas imagens tem levado a fotógrafa a expor as suas criações em galerias e espaços culturais. Aplica técnicas e padrões da cestaria e da tecelagem, conforme os sítios por onde passa, tirando proveito da aparente aleatoriedade dos objetos/sujeitos retratados e da estética criada.

TAMARA ALVES

Tamara Alves (n. 1983) é uma artista e ilustradora portuguesa que reside atualmente em Lisboa. Licenciou-se em Artes Plásticas (ESAD-IPL) e fez um mestrado em Práticas Artísticas Contemporâneas, onde o assunto da dissertação foi “Ativismo Público em Contexto Urbano”.

tamaraalves.com
TAMARA ALVES Underdogs

Interessada, desde sempre, por um tipo de arte que é “inserido” no mundo, fascinada pela estética da rua e pelo contexto urbano, Tamara prefere ignorar espaços convencionais, como galerias ou museus, para apresentar o seu trabalho na rua ou em espaços públicos.

 

No seu trabalho, é representado o panorama erótico de um corpo contemporâneo com efeitos de dilatação dos limites que o constituem. Uma paixão bruta, em vez da deliberação racional, um corpo-sem-órgãos, um devir animal, as sensações experimentadas, “esfomeados histéricos nus” (Allen Ginsberg).

 

Apresentando uma linguagem plástica inspirada na estética urbana, Tamara Alves utiliza suportes com características multifacetadas – desenho, pintura, cerâmica e tatuagem.

 

Desde 2000, participa em vários projetos, exposições individuais e coletivas, e intervenções de arte urbana.

TERESA ESGAIO

A artista portuguesa Teresa Esgaio (n. 1985) gosta de desenhar. Muito. Com uma licenciatura em Arte Multimédia da Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, e experiência de trabalho em vídeo e fotografia, passou alguns anos a laborar a tempo inteiro em publicidade, até que decidiu arriscar e concentrar-se na sua grande paixão.

teresaesgaio.com
TERESA ESGAIO Underdogs

Empregando materiais como grafite, carvão e pastel seco, Teresa gosta de brincar com texturas e com o delicado contraste entre luz e sombra, criando impressionantes trabalhos fotorrealistas, plenos de detalhes, que têm recebido muita atenção por parte do público e da crítica. Tem exposto o seu trabalho em mostras individuais e coletivas desde 2015.

WASTED RITA

A artista e ilustradora portuguesa Wasted Rita (n. 1988) tem vindo a desenvolver uma prática de natureza crítica e particularmente intimista, que explora a sua relação amor-ódio com a vida e o mundo à sua volta.

wastedrita.com
WASTED RITA Credito Wasted Rita

A assumida “agente provocadora nata” gosta de pensar, de escrever e de desenhar, dando vida a pequenas joias de sabedoria sarcástica embebidas em ácido, que refletem uma educação não convencional num colégio católico ao som da banda punk Black Flag.

 

Fazendo uso de uma variedade de suportes, incluindo objetos esculturais, instalação, pintura, desenho e escrita, a sua voz singular dá forma às suas observações mordazes e invetivas poéticas sobre o comportamento humano e a cultura contemporânea.

 

Desde 2011, tem apresentado o seu trabalho numa variedade de contextos, incluindo exposições individuais e coletivas em galerias, instituições e eventos artísticos em vários países.